quinta-feira, 27 de agosto de 2020

cavalo de tróia



1. Vila mal pintada
2 Chulada dos Aboios
3. Mali do Milho Verde
4. Os pregões do Funaná
5. Andar para trás no caminho
6. Não mates o punk que há em ti
7. Mantra da Beiroa
8. Harpa dos Bois
9. Cidades, Vilas, Aldeias
10. Pragas e Florindas
11. As mulheres que cantam o cante
12. Profetina não atina


Sílvio Rosado músico e Tiago Pereira documentarista criam álbuns digitais e performances audiovisuais a partir das gravações do projecto/ arquivo da música portuguesa a gostar dela própria, umas vezes produzem criações para um determinado lugar, noutras produzem aleatoriamente com as possibilidades infinitas que o arquivo tem. "Cavalo de Tróia" surge a seguir ao primeiro álbum; “Não nos deixeis cair em tradição”, desta vez além dos sons que são produzidos a partir dos sons dos vídeos gravados, existem também outros, que tornam a música mais de dança, criando um outro universo, uma nova fase. O projecto gosta de experimentar mundos e de estar permanentemente a mudar, numa procura de algo novo. Este disco é claramente uma homenagem ao projecto "Megafone" de João Aguardela e tem a premissa da ficção científica por ele lançada: e se de repente a música portuguesa, fosse construída através da memória colectiva de um povo. E fosse misturada e proposta para que as pessoas a pudessem dançar. Como se dança com o poema do avô? Com a cantiga da avó? Sem termos a resposta só nos restava uma solução, invadir o país de noite no nosso cavalo de Tróia e libertar de manhã a nossa música feita com pastores, poetas populares, ranchos folclóricos, cante Alentejano, harpas ao vento, tocadores de chulas, adufes, bombos, violas da terra e Beiroas, mas também o Filho da mãe, o Carlos Barreto, a Celeste Rodrigues, o João Frade, o Reflect e muitos, muitos outros. São doze músicas feitas entre 2018 e 2019, misturadas pelo Bruno Lobato, a.k.a: Beat Laden, que são agora lançadas unicamente no Bandcamp da Música Portuguesa a Gostar dela Própria no dia 3 de Setembro, dia de aniversário do Tiago Pereira para que os 48 anos lhe corram bem.