sábado, 21 de março de 2020

,

Durante três dias proibi-me de abrir este caderno. Ontem e hoje, escrevi um capítulo inteiro no meu livro em curso. Mas não posso deixar de voltar a estas notas. Tenho a impressão de que elas me libertam. À força de me inclinar mais afincadamente sobre estas recordações, de analisar com maior minúcia - e mais intelectualmente - as minhas sensações, acabarei talvez por descobrir nelas não sei que fórmula, que "chave", a qual, achada e proferida, faça quebrar o encanto - uma fórmula mágica contra o feitiço que me tem cativo.

em O deus nu, de Robert Margerit