sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

'a história relata o que aconteceu / o silêncio narra / o que acontece'*

Tenho uma paixão avassaladora, e que deixará de ser secreta agora, pela poesia de José Tolentino Mendonça*. Se lhe quiserem fazer chegar esta informação, eu deixo. Grata.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

tardio

Voltar ao podcast, quiçá.
Porque posso, quero e mando.

estórias trágicas



Desde 1986.

viram-na, pergunto

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

o estado da arte




E agora vão comprar livros ao Sr. Teste, vá.

> relicário



© Otto Künzli

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

vampiro

Não te esqueças: pela noite sorri melhor.

> relicário



Night Primrose, 1780

© Mary Delany

este vídeo fez-me sorrir

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

cada um acorda quando quer

cada um prova o que quer

(fool time) job



Vi este vídeo partilhado com a seguinte legenda: para ver, rever...
E muito bem.

ser cigano

“Indesejados”: um retrato profundo do povo cigano na Europa
aqui

domingo, 13 de janeiro de 2019

monstruário para breve



http://patriciaisabelricardo.com/monstruario

não é uma lista

a música portuguesa a gostar dela própria foi o melhor do ano cuja designação não podemos pronunciar, como Voldemort. Caramba, se foi.

sábado, 12 de janeiro de 2019

ao meu tio c.



Ribatejo, 2011

> relicário



Cianótipo e goma bicromatada
E.U.A., sem data

© Scott Bulger

sempre actual

Relembro.
(quase relicário)

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

> relicário



Cianótipo e goma bicromatada
E.U.A., sem data

© Scott Bulger

> relicário



Björk

© Anton Corbijn

consulta de clínica geral

Enquanto oiço Diana Krall numa pastelaria onde vou almoçar, concluo que a minha consulta foi muito twilight zone, muito atiro-me de um penhasco agora ou depois?

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

ao segundo dia do ano, pt 2



Ninguém me manda andar com máquinas de plástico, no entanto... a magia do filme!
Rolo encravado, entrada de luz, frames perdidas. O Penedo do Lexim é resultado de uma actividade vulcânica com milhões de anos e oferece-nos uma das melhores vistas de sempre. E o que pensar também. Com isto, os dias menos bons importam menos. Obrigada aos amigos, como o A., que fazem com que o músculo continue a bombear sangue.

[é importante mencionar que a Lana del Rey tem uma música com o título hope is a dangerous thing for a woman like me to have - but i have it]

A actualizar o sítio do costume:
+ http://patriciaisabelricardo.com

ao segundo dia do ano



Desfocado é o meu novo cool.
Ou: ter carinho pelo desfoque.

A actualizar o sítio do costume:

> amores

Cláudia Costa
http://claudiacostafotogramas.com

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

> relicário



Olive Cotton
Austrália, 1937

© Max Dupain

domingo, 6 de janeiro de 2019

claws



Melhor videoclip.

> amores

Cláudia Mestre
https://instagram.com/claudiacmestre

filme



Alentejo, 2018
(fim-de-semana com A Música Portuguesa a Gostar dela Própria)

Consolido a minha paixão: fotografia analógica.

o desenho da ana júlia



http://insipidolevacento.blogspot.pt

não é uma erupção

persephone

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

> mixtape



Se encontrarem por aí uns CD's (digo, na rua), não os deitem fora.
Levem-nos para casa, têm coisas lá dentro.

apaixonada

Agnès Varda em entrevista.

quanto meço

Não sei, mas tem sido em mar alto que me vejo melhor.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

> relicário



Cianótipo e goma bicromatada
E.U.A., sem data

© Scott Bulger

murcha sempre

O mundo é uma flor que murcha.

espelho*



Les Glaneurs et La Glaneuse... Deux ans aprés (2002), Agnès Varda


estrada

Faz da tua vida em frente à luz
Um lúcido terraço exacto e branco,
Docemente cortado
Pelo rio das noites.


Alheio o passo em tão perdida estrada
Vive, sem seres ele, o teu destino.
Inflexível assiste,
À tua própria ausência.


Sophia de Mello Breyner

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

marielle e monica



1 Janeiro 2019.

diários de passagem, pt ii



Estive numa casa linda, com cores avermelhadas, quase parecia que estávamos dentro de um coração. Não, perdão: estávamos dentro de um coração.